Um espaço de aprendizagem

Bi

Bandeira bi

Bandeira bi

Pessoas bi são pessoas que sentem atração por dois ou mais gêneros.

A proposição sobre pessoas bi terem atração pelo próprio gênero e por outros gêneros não funciona bem. Uma pessoa agênero que sente atração por homens e mulheres não é bi de verdade? Uma mulher que sente atração por mulheres não-binárias, pessoas agênero, e homens não é bi de verdade? Um nanomenino que só sentiu atrações por maveriques, andrógines, e outras pessoas não-binárias, sem nunca ter visto alguém de seu próprio gênero, não é bi de verdade?

Vale lembrar que, enquanto alguém pode, por exemplo, ver homens trans e mulheres cis como sendo do mesmo gênero, dificilmente essu alguém vai se chamar de bi, ao invés de hétero ou lésbica.

Luas crescentes bi

Luas crescentes bi

Enquanto bi cobre qualquer possibilidade de pessoas atraídas por mais de um gênero, e no passado também foi uma comunidade para qualquer pessoa que não era gay, lésbica, ou hétero, não é respeitoso tentar reduzir qualquer pessoa com atração por mais de um gênero a “basicamente bi”. Algumas pessoas fogem do termo bi, mesmo que a culpa não seja necessariamente da comunidade bi, pela maioria das pessoas achar que bi se refere a atração por homens e mulheres, por dois gêneros, ou por pessoas cis.

Para se referir a pessoas que sentem atração por mais de um gênero num geral, a alternativa mais segura é utilizar multi.

Em 1886, o conceito de bissexual como alguém que participa de atividades sexuais tanto com homens quanto como mulheres foi utilizado pela primeira vez, no livro Psychopathia Sexualis, de Richard von Krafft-Ebing. Este conceito foi baseado em flores que, por produzirem tanto gametas “masculinos” quanto gametas “femininos”, podem cruzar com qualquer um desses dois tipos de gametas. Krafft-Ebing acreditava que pessoas bi tinham mais de um gênero, porém esta ideia foi descartada posteriormente.

Antes disso, bissexual se referia a pessoas intersexo, especificamente as com genitália ambígua ou com mosaicismo.

Bandeira birromântica

Bandeira birromântica

Na década de 60, nos Estados Unidos, começaram a ser travadas lutas por direitos de gays e lésbicas; porém, para convencer que gays e lésbicas eram assim como pessoas hétero, só mudando o gênero o qual “amam” (sentem atração), pessoas bi passaram a ser vistas como ilegítimas.

Movimentos feministas radicais dos anos 70 pensavam em relacionamentos de homens com mulheres como problemas, criando a ideia de que uma lésbica era uma mulher que prioriza mulheres, e que isso incluía não dormir com homens. Muitas feministas da época acabavam suprimindo ou escondendo sua atração por homens, em nome da teoria que dizia que a conclusão lógica do feminismo radical era que a dedicação política levava a ter atração sexual apenas por mulheres.

Antes disso, comunidades de mulheres bi e lésbicas eram a mesma, porém, com essa pressão, mulheres bissexuais passaram a formar suas próprias comunidades.

Biângulos, ou triângulos bissexuais

Biângulos, ou triângulos bissexuais

Michael Page criou a bandeira bissexual, hoje conhecida apenas como a bandeira bi, em 1998. As cores são as mesmas dos biângulos, outro símbolo bi, que depois foi substituído por duas luas crescentes. A bandeira bi é composta de três faixas horizontais, sendo que a do meio tem a metade do tamanho das outras. A faixa de cima é rosa escura, a do meio é roxa, e a de baixo é azul.

Page escreveu que “a chave para entender o simbolismo da bandeira bi é saber que os pixels roxos são misturados imperceptivelmente tanto com a cor rosa tanto quanto a cor azul, assim como no ‘mundo real’, onde pessoas bi se misturam imperceptivelmente tanto nas comunidades gay/lésbicas quanto nas hétero”.

Bi é o mesmo prefixo em inglês (bisexual, biromantic, bialterous, bisensual, etc).


Links adicionais:

Pular para a barra de ferramentas