Um espaço de aprendizagem

Lista de sistemas opressivos

A ação discriminatória causada por cada um desses sistemas normalmente é chamada de [alguma coisa]fobia. Como esta escolha de palavras infere que, digamos, homofobia é algo com origens e consequências similares à claustrofobia e à aracnofobia, estaremos evitando estas palavras o quanto possível no site. Porém, elas serão utilizadas aqui para ajudar nas explicações, visto que a maioria só conhece estas palavras.

É claro que existem mais sistemas do que os listados aqui: só estamos listando os mais relevantes ao propósito do site.

Heterossexismo/heteronormatividade: A crença de que o “normal” é ser hétero. De que pessoas de qualquer outra orientação só estão fingindo ser o que não são, ou de que são doentes e devem ser isoladas, “curadas” ou mortas. A crença de que casais que não são compostos por um homem e por uma mulher num relacionamento sexual e romântico não deveriam ter os mesmos direitos dos que são. Isso gera qualquer opressão ligada a orientações, como homofobia, bifobia, acefobia, entre outras.

Cissexismo/cisnormatividade: A crença de que só existem dois gêneros, determinados biologicamente pela genitália, e de que qualquer pessoa que diz ser de “outro” gênero (incluindo o que “não corresponde com seus genitais”) está mentindo, tem apenas um fetiche ou doença mental, não deve ser encorajada a pensar que isso é verdade, etc. Cissexismo gera transfobia e exorsexismo.

Diadismo: A crença de que pessoas intersexo são raras ou inexistentes, e que as que existem, devem ser “consertadas” para que sejam corretamente vistas como um sexo binário. A crença de que pessoas intersexo não devem ser consideradas na hora de dizer frases do tipo “todas as mulheres cisgênero possuem úteros”, ou “você só pode ser biologicamente macho ou fêmea”. Diadismo gera intersexofobia.

Monossexismo: A crença de que pessoas só são atraídas por um gênero. De que pessoas multi estão mentindo, ou são doentes. De que eventualmente todes vão escolher apenas um gênero. De que pessoas multi vão trair para ficar com alguém de outro gênero. Monossexismo gera bifobia, ou multifobia, e pode ocasionalmente contribuir para arofobia e acefobia.

Exorsexismo: A crença de que pessoas não-binárias estão só delirando, ou mentindo. De que não existem, ou de que não devem ser consideradas relevantes. De que sempre houveram dois gêneros, masculino e feminino, durante toda a história da sociedade. De que certos gêneros não são reais e merecem ser desrespeitados. De que gêneros não podem ser influenciados por neurodivergência, intersexualidade ou outros fatores. De que gêneros possuem uma fixa quantidade, ou de que não podem ser fluidos. Exorsexismo é um subtipo de cissexismo, e não possui um termo terminado em “fobia”.

Zedsexismo/allossexismo/alossexismo: A crença de que todas as pessoas vão eventualmente ser sexualmente atraídas por outras, gostar de sexo, e querer sexo. A crença de que não há relação amorosa que funcione sem sexo, e de que pessoas que não sentem atração ou que não querem sexo precisam ser “consertadas”. A crença de que pessoas assexuais devem ter sofrido algo para ficarem assim (pode ser o caso, mas nem sempre). Zedsexismo gera acefobia.

Amatonormatividade: A crença de que relações românticas são mais importantes do que amizades. A crença de que pessoas precisam ter um grande amor como objetivo de vida. A crença de que pessoas que não se apaixonam não possuem empatia em outros aspectos, ou que são doentes. A crença de que pessoas arromânticas um dia vão “encontrar a pessoa certa”. Amatonormatividade gera arofobia, além de discriminações anti-poliamor.

Dicisheterosexismo: Mistura de diadismo, cissexismo e heterossexismo. É o sistema que causa todas as opressões contra a comunidade LGBTQIAP+.

Quanto à lesbofobia, à transmisoginia, e ao binarismo, estes são gerados por intersecções de sexismo e heterossexismo, por cissexismo e sexismo, e por exorsexismo e racismo, respectivamente. Existem outras intersecções importantes, como, por exemplo, com deficiência, mas até o momento, não sabemos de palavras para descrevê-las.

Pular para a barra de ferramentas