História da identidade não-binária?

Início Fóruns Comunidade Identidades História da identidade não-binária?

Este tópico contém respostas, possui 4 vozes e foi atualizado pela última vez por  [email protected] 4 meses atrás.

Visualizando 20 posts - 1 até 20 (de 20 do total)
  • Autor
    Posts
  • #2678 Quote

    MEME LORD
    • o/ele/o
    • o/êlu/u

    Participante

    Eu tenho curiosidade pra saber mais sobre como a identidade genderqueer foi evoluindo para não-binária, no sentido que não-binárie é o termo mais comum hoje em dia, pelo menos em contextos informados.

    O que eu já sei sobre o assunto é que genderqueer se refere não só a pessoas de gêneros não-binários, mas que por algum motivo algumas pessoas dizem que genderqueer é uma identidade específica dentro da categoria não-binária, o que não faz sentido. Também sei que essa mudança foi faz uns 7 anos.

    Eu também já sei sobre como genderqueer é considerado um termo carregado politicamente… mas, se era mesmo, como é que as pessoas ficaram tanto tempo sem nenhum nome para pessoas não-binárias que não queriam ser chamadas de queer?

    Sei lá. Se ninguém souber responder, não precisa.

    THIS IS THE FUTURE LIBERALS WANT

    #2693 Quote

    Tath
    • ed/eld/e
    • -/éli/e

    Mestre

    (caso você seja sensível a palavras obsoletas e potencialmente ofensivas em inglês, assim como a cissexismo casual e a diadismo não tão casual, leia esta postagem com cautela)

    Então, eu não tenho como explicar nada em detalhes, mas posso te dar algumas curiosidades:

    1)
    http://web.archive.org/web/20050306105855/http://www.chaparraltree.com:80/raq/notthis.shtml
    http://web.archive.org/web/20050308185631/http://www.chaparraltree.com:80/raq/angels.shtml
    Estamos falando aqui de uma pessoa que não se identificava como genderqueer ou não-binária, e de alguém que não colocou isso em seu dicionário. Porém, a pessoa usa a palavra transgênero, que inicialmente era um termo tão abrangente quanto genderqueer.

    Esta visão é reforçada por outro FAQ da época:
    https://www.sexuality.org/l/transgen/transg1.html

    Transgendered was a term put into general usage by Virginia Price. It originally meant a pre-operative transsexual who has no desire to have the SRS. It later became a catchword for Transvestites, transsexuals, female and male impersonators, drag queens, Intersexuals, gender dysphorics, and those that do not fit any gender label.

    2) Outro glossário antigo – desta vez um glossário para “outros gêneros” (gêneros além de homem e mulher, a maioria de culturas não-brancas) – também não lista nenhum dos dois termos, ainda que mencione termos como “pangendered” e “transgendered”:

    Conteúdo oculto por conter linguagem colonialista/etnobinarista

    3) Este glossário também não cita palavras para pessoas não-binárias, e até classifica pessoas trans como “pessoas que possuem comportamentos do gênero oposto”: http://cydathria.com/ms_donna/tg_def.html

    Porém, o site também lista duas identidades não-binárias específicas: bigênero e intergênero, ainda que as definições apelem para os gêneros binários.

    4) Já este glossário é mais completo, e inclui termos que podem ser utilizados para certas pessoas não-binárias nos seguintes termos:

    Conteúdo oculto por conter só um reforço: aqui tem muita linguagem obsoleta que é considerada cissexista, exorsexista ou etnobinarista nos dias de hoje
    .

    ADDITIONAL PRONOUNS: Pronouns such as “ze,” “hir,” and “per,” which do not denote rigid masculinity or femininity. Coined by trans activists and scholars, such gender-bending pronouns emerged (and may continue to emerge) in opposition to, and in recognition of, the insufficiency of gender-specific pronouns (i.e., him, her, his, hers, she, and he) to refer to trans and gender-variant people. (See also ZE, HIR, PER.)

    ANDROGYNY (ALSO ANDROGYNOUS): A person who expresses and/or presents merged culturally/socially defined feminine and masculine characteristics, or mainly neutral characteristics. May or may not express dual gender identity.

    BI-GENDER: A person who identifies as both or some combination of the two culturally prevalent genders. A bi-gender individual may shift their gender identity and/or expression from one gender to another, or a combination of genders, in ways that make sense to them – such shifting may occur on an hourly, daily, monthly, or yearly basis.

    GENDER-BENDER (ALSO GENDER-BLENDER, GENDER FUCK): A person who merges characteristics of any gender in subtle ways or intentionally flaunts blurred stereotypical gender norms for the purpose of shocking others, without concern for passing.

    GENDER IDENTITY: The inner sense of being male, female, both, neither, two-spirit, multi-gender, bi-gender or another configuration of gender. Gender identity usually matches with one’s physical anatomy, but sometimes does not. Gender identity includes one’s sense of self, the image that one presents to the world, and how one is perceived by the world.

    GENDERQUEER: A term which is used by some people who may or may not fit on the spectrum of trans, or be labeled as trans, but who identify their gender and sexual orientation to be outside of the binary gender system, or culturally proscribed gender roles.

    MULTI-GENDER: A term used to describe a person who identifies with all genders at some level, and may perform gender in a variety of ways.

    NO-GENDER (ALSO NON-GENDER): A term used to describe a person who identifies as neither of the two genders existing within a binary gender system. A no-gender person may “live outside of” gender, and play with various types of gender or anti-gender expression.

    SELF-DEFINED GENDER: A gender identity that one chooses for oneself without regard for limitations imposed by social norms or a binary gender system. May or may not be fixed, may evolve and change. Often determined as a result of an individual’s questioning and exploring gender issues, examination of gender roles, and through a process of self-discovery.

    SHAPE SHIFTER (ALSO METAMORPH): A term used by some people (who choose not to identify as transsexuals) to express their belief they are not changing their gender, but changing their body to reflect their inner feelings and gender identity.

    THIRD GENDER: A term used to describe people who feel they are other than male or female, or a combination of both.

    TRANS (ALSO TRANSGENDER): A term used to describe those who transgress social gender norms; often used as an umbrella term to mean those who defy rigid, binary gender constructions, and who express or present a breaking and/or blurring of culturally prevalent/stereotypical gender roles. The term trans includes but is not limited to transsexuals, intersex individuals, bi-genders, no-genders, androgynes, cross-dressers, gender-benders, feminine men, masculine women, shape shifters, transvestites, and sometimes Two-Spirit people. Transfolk, transperson, transpeople and trannies are other more casual terms used to refer to people who identify as trans or gender variant.

    TWO-SPIRIT: A term used by some indigenous/First Nation/Native American people to describe the experience of being, in Euro-American-centric terms, lesbian, gay, bisexual, or transgender. For a lengthier discussion on the use of this term, refer to Gary Bowen’s article, “Transgendered Native Americans” (1996), available through The American Boyz (contact information is in the “Resources” section) or via the American Boyz website at: http://www.amboyz.org/articles/native.html.

    Temos aqui diversos termos, mas nenhuma menção de algum termo similar a não-binárie.

    5) Neste FAQ, a palavra “queergendered” é utilizada para falar de pessoas “bigênero, terceiro gênero ou sem gênero”, o que eram basicamente os tipos de identificação não-binária que as pessoas sabiam que existiam na época.

    6) Nesta página (GRANDE AVISO para linguagem que pode ser considerada problemática/ofensiva, pelos mesmos motivos citados nas outras páginas), temos os motivos de pessoas se identificarem como poligênero, bigênero, sem gênero, entre outras identidades, mas também não há um termo abrangente.

    if you are afraid ⁕ come out
    if you are awake ⁕ come out
    COME OUT AND LEVEL UP

    • Esta resposta foi modificada 4 meses, 3 semanas atrás por  Tath.
    #2701 Quote

    MEME LORD
    • o/ele/o
    • o/êlu/u

    Participante

    Ok, deixa eu ver se consigo montar algo:

    Os primeiros links são de 95 e 96. Ou seja, até 96, transgênero ainda era considerado o termo para pessoas fora do binário.

    O terceiro item é de 99, mas como contém poucas definições, não sei se está excluindo termos como genderqueer de propósito ou não. Transgênero tá com conotação binária, mas sei que transgênero existe por causa de pessoas binárias que não queriam transição. É difícil avaliar.

    O quarto item é de 2000. Admite que genderqueer existe, mas lista trans como o termo principal para identidades não-binárias.

    O quinto item, de 98, é bem curioso:

    (For the purpose of this info sheet, I have used the term “queergendered” to mean people who are transsexual and transgendered but particularly those who are bigendered (identifying as both, or more, genders), non-gendered (not identifying with any gender) and third-gendered (constructing their own gender). Many of the questions and some quotes were drawn from P-FLAG’s Transgender FAQ; where there are quotes attributed to P-FLAG , they are from that FAQ.)

    Bigendered, third-gendered, and nongendered folks are often even discriminated against within transgendered resources and within the trans community. We are seen as “wannabes” and “fans.” We are often denied treatment of any sort because medical “authorities” do not have any information on us. We are automatically seen as “confused” and merely in need of therapy to decide between the acceptable conclusions of either being textbook transsexuals or regular people who just dislike gender roles.

    Ou seja, em 98 transgênero não era mais um rótulo para pessoas fora do binário, mas as comunidades não tinham nenhum rótulo em comum fora transgênero.

    O sexto link não me diz muita coisa. No início dos anos 2000, genderqueer era mais tipo GNCGender Non-Conforming: Alguém que não "se conforma" com seu gênero, utilizando uma expressão diferente da esperada para seu gênero (como um homem que gosta de usar vestidos e maquiagem). Normalmente a expressão é aplicada para pessoas binárias, especialmente cis, mas pessoas trans binárias ..., embora tivesse gente que usava como gênero? E transgênero era mais algo binário, tipo transexual? É isso?

    Organizando melhor:

    87: Criação do termo transgênero, para pessoas transexuais que não queriam passar por transição, + talvez para ter um termo que cobrisse todas as variações de gênero
    Entre 87 e 95: Evolução do termo transgênero para que pessoas associassem mais com pessoas fora do binário do que com pessoas trans binárias
    Meio dos anos 90: Utilização de transgênero para cobrir todas as “variações de gênero”, mas principalmente para pessoas não-binárias
    Final dos anos 90/início dos anos 2000: Transgênero começa a ter conotação mais binária e mais mainstream, pessoas fora do binário não se sentem aceitas dentro da comunidade e preferem se chamar de genderqueer, bigênero, poligênero, sem gênero, etc.

    O que ainda me incomoda é quando o termo genderqueer virou mainstream, porque vários sites ainda usam no lugar de não-binárie para descrever pessoas não-binárias.

    THIS IS THE FUTURE LIBERALS WANT

    #2725 Quote

    Tath
    • ed/eld/e
    • -/éli/e

    Mestre

    Assim como bissexual, acredito que transgênero e genderqueer sejam palavras que, em diferentes lugares, significavam diferentes coisas. Ou, mesmo que não significassem diferentes coisas, as pessoas usavam de forma diferente: por exemplo, alguns grupos podiam empurrar transgênero como algo binário, mas sem o peso de fazer transição que existia na palavra transexual (o que levava pessoas não-binárias a utilizar termos como poligênero ou genderqueer), enquanto outros grupos usavam transgênero mais para pessoas não-binárias e GNCGender Non-Conforming: Alguém que não "se conforma" com seu gênero, utilizando uma expressão diferente da esperada para seu gênero (como um homem que gosta de usar vestidos e maquiagem). Normalmente a expressão é aplicada para pessoas binárias, especialmente cis, mas pessoas trans binárias ....

    Quando estamos falando dos anos 80 e 90, estamos falando de épocas que a internet era inexistente ou quase inexistente. Não é como se houvessem muitos livros detalhando terminologia transgênero (usando aqui trans como um termo abrangente), então as informações corriam por cartas e zines e convenções, mas não necessariamente chegava a todos os lugares, ou continha as mesmas mensagens quando chegava em outros lugares.

    Se hoje em dia há muito telefone sem fio e desinformação, imagina na época. A gente não tem noção de quantas listas resolveram excluir certos termos por discordarem deles, ou de quanto certos termos estão sendo colocados de forma que boa parte da comunidade discorda da definição. A gente pode especular, mas se ainda temos que teorizar sobre como ocorreu a troca de genderqueer para não-binárie, que foi relativamente recente, imagina tentar descobrir como ocorreu a troca de transgênero para genderqueer, quando temos pouquíssimas possibilidades de fontes.

    EDIT: Bom, eu achei esse artigo aqui que mais ou menos cita o crescimento de genderqueer como um termo, mais especificamente na segunda metade dos anos 90, o que condiz mais ou menos com sua postagem… só que é difícil saber o quão universal foi essa mudança :S

    EDIT 2: Vendo algumas postagens no Tumblr de 2011/2012, eu percebi que não-binárie era um termo relativamente controverso, e que muitas pessoas usavam “genderqueer/não-binárie” quando escreviam, como se quisessem deixar claro que se referiam ao mesmo conceito e incluir ambos os grupos.

    Também achei:
    Esta postagem de 2011 falando de como pessoas não-binárias podem não se sentir bem com o termo trans;
    Esta postagem [ac: menção e recomendação do termo “terceiro gênero”] reclamando que pessoas estavam utilizando não-binárie somente para gêneros completamente fora do binário, ignorando pessoas bigênero de gêneros binários, andrógines e outras identidades;
    Esta postagem deixando implícito que genderqueer = não-binárie, dizendo que pessoas cis ou trans binárias não deveriam se identificar como tal;
    Este artigo de 01/01/2012 que cita não-binárie junto com genderqueer, trans e outras identidades;
    Outra postagem de 2011, respondendo a alguém que detesta genderqueer como termo, mas que usa “sem gênero” (non-gendered)
    Em 2011, tinha gente separando completamente genderqueer de transgênero.

    if you are afraid ⁕ come out
    if you are awake ⁕ come out
    COME OUT AND LEVEL UP

    • Esta resposta foi modificada 4 meses, 3 semanas atrás por  Tath.
    #2751 Quote

    MEME LORD
    • o/ele/o
    • o/êlu/u

    Participante

    Aí sim, era isso que eu esperava! O ideal seria ter algo mais conciso, mas entendo que não foi possível. GG!

    THIS IS THE FUTURE LIBERALS WANT

    #2760 Quote

    Mimi
    • -/ély/y
    • i/éli/i

    Participante

    teoria: o apagamento de genderqueer como termo foi causado originalmente pelo mesmo desgosto à palavra queer que vem da influência ter no tumblr

    talvez o apagamento tenha vindo primeiro em relação a pessoas gncGender Non-Conforming: Alguém que não "se conforma" com seu gênero, utilizando uma expressão diferente da esperada para seu gênero (como um homem que gosta de usar vestidos e maquiagem). Normalmente a expressão é aplicada para pessoas binárias, especialmente cis, mas pessoas trans binárias ... serem genderqueer, e só depois a comunidade nb decidiu rejeitar o termo com base nesse discurso

    m i m i
    (não há aprendizado sem dor.)

    #2831 Quote

    [email protected]

      Participante

      Gêneros não-binários existem desde que gênero existe, haha.

      A única coisa que mudou com o tempo é que a partir de certo ponto o pessoal decidiu dar nome aos bois.

      Tem sociedades que sempre acreditaram em mais de 2 gêneros (eu ficaria [email protected] se alguém me contasse de uma sociedade em que todos são e/a-gêneros e gênero não existe)

      Mas bem , as primeiras identidades não-binárias registradas foram:
      -hijras em Bangladesh, Índia e Paquistão
      – fa’afafine na Polynesia , Samoa
      – travestis no Brasil
      – 2-espíritos dos indios nativos nos eua
      – muxes no México
      – guevedoces na República Dominicana
      – bissus, calabais e calalais do povo bugi na Indonésia
      – virgens juramentadas da Albânia , balkan
      – fakeleiti do povo tongan
      – femmenielis/femminielos/femminelis em Nápoles
      – mahus/maohi no havaí
      – andró[email protected] na Grécia antiga
      – muitas outras civilizações já consideraram interssexo e [email protected] como identidades de gênero antes

      #2832 Quote

      [email protected]

        Participante

        -alguns até consideram transsexual e transgênero como opções tb

        #2881 Quote

        Tath
        • ed/eld/e
        • -/éli/e

        Mestre

        A questão das “travestis” no Brasil – considerando aqui travesti como o termo utilizado por europeies para descrever pessoas com pênis tratadas como mulheres em sociedades indígenas – não é bem uma prova de que as sociedades indígenas sul-americanas consideravam que mais de dois gêneros existiam. Afinal, é bem possível que considerassem dois gêneros, com a diferença que o gênero “mulher” ou “não-homem” não era necessariamente definido pela genitália, e sim pelo papel sexual passivo.

        Algum explorador francês aí chamou essas pessoas que tinham papeis femininos, mas que não eram mulheres cis de acordo com a visão europeia, de travestis, e categorizou tais “travestis” como um “terceiro gênero”, mas isso não é necessariamente o que aquelas sociedades pensavam ou pensam sobre gênero.

        Eu citaria esta página, mas aparentemente deram uma mudada no texto, provavelmente porque as conotações modernas do termo travesti são diferentes das que foram aplicadas àquelas indígenas há séculos atrás. Tentei dar uma pesquisada, mas não consigo encontrar nada em relação às origens da palavra, só em relação ao que pessoas nos dias de hoje consideram travestis, então não tenho como dar uma referência decente, sry. :S

        De qualquer forma, acredito que OP esteja mais preocupado em saber da história moderna ocidental em relação à terminologia utilizada para identidades não-binárias, não em provas de que pessoas não-binárias sempre existiram, embora, sim, existam muitas.

        -alguns até consideram transsexual e transgênero como opções tb

        Como você pode ver nos links que passei mais cedo, transexual nunca foi uma terminologia amigável a pessoas não-binárias, porque sempre teve muito mais a conotação de “mudar de ‘um sexo’ pra outro” do que a conotação de “ter um gênero não-normativo”, que é o caso de transgênero e de genderqueer.

        Existem pessoas não-binárias transexuais, e até transmedicalistasTransmedicalistas, truscum ou transmeds são, na teoria, pessoas trans que acreditam que só é possível ser trans caso a pessoa sinta disforia de gênero. Na prática, são um grupo assimilacionista que odeia qualquer tipo de pessoa trans ou não-binária "ruim": não apenas pessoas sem disfori... (que tendem a usar o termo transexual), mas ainda assim, é difícil ver pessoas não-binárias se dizendo transexuais, se for comparar com o quanto de pessoas binárias que usaram/usam o termo, ou se for comparar com as pessoas não-binárias que preferem outras terminologias.

        Sobre transgênero, yeah, boa parte do tópico falou disso. Mas acho interessante notar que:

        1) Poucas pessoas não-binárias hoje em dia descrevem seu gênero como transgênero, ao invés de se dizerem não-binárias, genderqueer, transmasculinas, transfemininas, ou de algum gênero mais específico.

        2) Cada vez eu vejo mais pessoas não-binárias se afastando da identidade/comunidade transgênero, principalmente pelo exorsexismo encontrado dentro e fora da comunidade transgênero, que diz que pessoas não-binárias “não são trans de verdade”.

        if you are afraid ⁕ come out
        if you are awake ⁕ come out
        COME OUT AND LEVEL UP

        #2883 Quote

        [email protected]

          Participante

          Eu diria que travestis eram tratadas como não-homens e não-mulheres, e sim eu pensei que estávamos falando de terceiro gêneros.

          Mas travesti como os outros termos que eu listei tem uma história bem interessante, a grande maioria dos termos que eu listei eram denominações dadas a machos afeminados e fêmeas celibatas.

          Mas voltando aos travestis, travesti já foi considerado profissão no Brasil, existem pessoas com o sexo feminino que se identificam como os travestis também , eu já vi com meus olhos em outra comunidade.

          Travestis pela história terrível que tem pode ser considerado um termo ofensivo, pode ser considerado tanto uma forma de expressão de gênero (crossdressing ) quanto uma identidade de gênero não-binaria (travesti-nb).
          O termo é usado tipo juxera ou andrógine e neutrois no mundo nb. [email protected] que se comporta como tal gênero mas no fim é outra coisa.

          Antigamente os transgêneros que não eram transsexuais (operados) eram chamados assim.

          #2901 Quote

          MEME LORD
          • o/ele/o
          • o/êlu/u

          Participante

          @human eu agradeço o esforço, mas meu tópico é realmente sobre denominações modernas, não denominações culturais específicas. =X

          E seu último post parece confundir “travesti” como identidade que foi designada a indígenas e travesti como tradução de transvestite, que aí sim é uma identidade que não é necessariamente a mesma que mulher em nossa sociedade e tal.

          THIS IS THE FUTURE LIBERALS WANT

          #2903 Quote

          [email protected]

            Participante

            Bem, pois é, eu disse, travesti é uma palavra bem ampla.
            De identidade de gênero , pra expressão de gênero, pra profissão , pra invalidação de outras identidades. Tem muitos usos, depende do contexto.

            Mas pensando nas identidades não-binarias, primeiro surgiu o termo gêneroqueer pra designar pessoas que saiam dos padrões de gênero, termo bem vago pois tanto cis, trans, binários ou não podem usar. Gêneroqueer surgiu por volta dos anos 80 nos EUA.

            Pra entender identidades de gênero , também é interessante estudar expressões de gênero, termos que vem desde a antiguidade até recentemente: androgino, unissex, guria/tomboy, sissy, crossdressser/transvestite/travesti, drag king e queen, transsexual, gênero não conformativo/gnc, bofinho/butch/s#patao/caminhoneira , homem vi#do/afeminado/femme, urso/bear, mulher via#a/femme/sandalinha/doe, etc, eles fazem parte importante na história gêneroqueer.

            Tá , voltando aos nbs, o termo surgiu pra englobar identidades que já existiam (as que eu listei) e outras que foram estudadas depois, nos anos 90 ate 2012 que começaram a aparecer as identidades não-binarias mais conhecidas (neutrois, gênerofluido, agênero e multigênero). Se espalharam pelas comunidades trans e de crossdressers da Internet. Depois apareceram bandeiras pra elas e tals. O Tumblr foi uma das plataformas que mais aceitaram estas identidades e a grande maioria delas surgiu dela , Tumblr também que fez bandeiras pra elas.

            #2904 Quote

            Tath
            • ed/eld/e
            • -/éli/e

            Mestre

            Então, [email protected], você chegou a ler o tópico inteiro?

            Eu também já vi gente falando que genderqueer surgiu nos anos 80. Porém, nós não conseguimos achar nenhuma fonte mais concreta sobre o surgimento e a popularização de genderqueer. O que achamos foi que pessoas mais popularmente utilizavam transgênero até o meio dos anos 90, e depois disso é que começaram a ver transgênero como uma palavra mais ligada a pessoas binárias e genderqueer como uma palavra ao menos para *certas* pessoas não-binárias – outras utilizavam identidades mais específicas, e certos grupos até preferiam “polygender(ed)” para falar de todas essas identidades.

            Caso você tenha alguma fonte adicional, seria uma ótima adição ao tópico!

            E, yeah, se vamos falar de Tumblr, acredito que seja relevante que o grande boom em relação a identidades MOGAI foi em 2014, bastante incentivado por blogs como mogai-archive (deletado), pride-archive (inativo) e pride-flags-for-us (refeito, hoje tem mods REGsReactionary Exclusionary Gatekeepers (Guardiães do Portão Excludentes e Reacionáries): Em relação à comunidade LGBTQIAP+, são pessoas de dentro da comunidade que querem excluir parte dela, normalmente por motivos de assimilação e/ou preconceito. Existem vários tipos de REGs, mas geralme... ou simpatizantes de REGs), e continuado por blogs como ask-pride-color-schemes (ativo) e mogai-lexicon (recentemente deletado), assim como beyond-mogai-pride-flags (em hiato?) e lgbtrainbowdolls (ativo); só sugiro que tenha cautela em relação a estes últimos dois. Esta onda de 2014 gerou ou foi gerada por uma onda transmedicalistaTransmedicalistas, truscum ou transmeds são, na teoria, pessoas trans que acreditam que só é possível ser trans caso a pessoa sinta disforia de gênero. Na prática, são um grupo assimilacionista que odeia qualquer tipo de pessoa trans ou não-binária "ruim": não apenas pessoas sem disfori... que possuia o objetivo de silenciar pessoas com estas identidades, e de expulsá-las da comunidade trans.

            Não tenho estatísticas brutas, mas chuto que a maior parte das bandeiras de orgulho foram feitas por moderadories do Pride Flags For Us, especialmente Roswell/pastelmemer (que na época usava o nome Raleigh, ainda preciso atualizar as páginas do Orientando) e Ita/autistic-italy (que deletou todos seus Tumblrs e deviantArts após uma certa polêmica).

            if you are afraid ⁕ come out
            if you are awake ⁕ come out
            COME OUT AND LEVEL UP

            • Esta resposta foi modificada 4 meses, 1 semana atrás por  Tath.
            #2909 Quote

            [email protected]

              Participante

              Pride-flags-for-us continua ativa no deviantart, tem também lgbtrainbowdolls no Tumblr, mas sim , muitos blogs sumiram.

              Olha gente gêneroqueer já existia antes do termo então fica difícil mesmo descobrir quando que surgiu, da pra ter uma idéia quando se pesquisa as bandeiras de gêneros , a grande maioria foi feita algum tempo depois da criação do termo depois de 2014.
              Estas aqui são as que eu consegui descobrir a data de quando criaram elas dps de uma pesquisa.

              A bandeira Transgênera no ano 2000
              https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/b/b0/Transgender_Pride_flag.svg/1280px-Transgender_Pride_flag.svg.png

              A bandeira neutrois ao redor de 2011
              https://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/1/1d/Neutrois_flag.svg

              A bandeira gêneroqueer em 2012
              https://vignette4.wikia.nocookie.net/gender/images/b/b5/Genderqueer.png/revision/latest?cb=20161228071341

              A bandeira gênerofluido em 2012 também https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/9d/Genderfluidity_Pride_Flag.png

              A bandeira da androginia em 2003
              http://prideflagsforus.weebly.com/uploads/2/2/4/3/22439062/8555062.png

              A bandeira agenero também é de entre 2010 e 2012, não me lembro bem e não consegui pesquisar
              outro problema é que é difícil identificar se estas foram as primeiras bandeiras.
              Mas mesmo assim , gêneros tipo neutrois apareceram lá pelos anos 90, e outros como agenero e generofluido depois de 2010 até 2012.
              Depois milhares de gêneros apareceram pela Internet a grande maioria deles não tendo nenhum registro específico.

              Mas tipo, tem gêneros que tem a sua história registrada , como neutrois, agenero, generofluido , generofluxo, androgine (este desde o tempo da antiguidade) e demigenero e gêneros culturais (também desde a antiguidade) por exemplo.

              A palavra transgenero e expressões de gênero principalmente tem registros históricos.

              #2911 Quote

              [email protected]

                Participante

                E só pra piorar as pesquisas sobre gente não binária, existem várias culturas que consideram gay, lésbica , androginos, crossdressers , transexuais, gente castrada, gente celibata, eunucos, transsexuais, interssexos e homens femininos e mulheres masculinas como “terceiro-gêneros”, o que é muito vago.

                #2915 Quote

                Mimi
                • -/ély/y
                • i/éli/i

                Participante

                Pride-flags-for-us continua ativa no deviantart, tem também lgbtrainbowdolls no Tumblr, mas sim , muitos blogs sumiram.

                Pride-Flags =/= pride-flags-for-us lmao

                Pride-Flags no deviantArt é da mesma equipe que (ask) pride color schemes no tumblr, pffu nunca teve dA

                pride-flags-for-us ainda existe como tumblr, mas é uma piada, lgbtrainbowdolls também, mas pelo menos lgbtrainbowdolls corrigiu a definição de pomossexual

                a maioria daqui já deve saber das informações mais modernas, porque elas estão disponíveis no próprio orientando… o problema é achar a transição de gq pra nb, que aconteceu no início dessa década, quando já tinha internet, mas que tem poucas fontes, mesmo no tumblr

                also, androginia (expressão de gênero) =/= andrógine (gênero)

                m i m i
                (não há aprendizado sem dor.)

                #2977 Quote

                MEME LORD
                • o/ele/o
                • o/êlu/u

                Participante

                Yeah, ahn… se alguém tiver informações concretas sobre o assunto do tópico, eu agradeço.

                Eu não me importo com derivações off-topic (como todo o negócio sobre bandeiras de gêneros específicos ou histórias sobre gêneros fora do binário em outras sociedades ou sobre como certos blogs são ruins), mas não quero que o tópico vire sobre um assunto diferente e confunda alguém que possa ter respostas, y’know…

                Eu tenho curiosidade pra saber mais sobre como a identidade genderqueer foi evoluindo para não-binária, no sentido que não-binárie é o termo mais comum hoje em dia, pelo menos em contextos informados.
                O que eu já sei sobre o assunto é que genderqueer se refere não só a pessoas de gêneros não-binários, mas que por algum motivo algumas pessoas dizem que genderqueer é uma identidade específica dentro da categoria não-binária, o que não faz sentido. Também sei que essa mudança foi faz uns 7 anos.

                THIS IS THE FUTURE LIBERALS WANT

                • Esta resposta foi modificada 4 meses, 1 semana atrás por  MEME LORD.
                #2987 Quote

                [email protected]

                  Participante

                  É ao contrário , gêneroqueer abrange todas as pessoas com expressão de gênero androgina, unissex , ou outra expressão de gênero não binária. Pessoas tanto cis quanto binárias podem se identificar como gêneroqueer.
                  Não-binaries, porém, são generoqueer mesmo se a expressão de gênero deles for ou feminina ou masculina, tanto faz.

                  Gêneroqueer se refere a identidades de gênero e expressões de gênero que saem do binário.

                  Eu penso que não-binarie surgiu pra representar um certo grupo de pessoas generoqueer que não se identificam ou não completamente ou toda hora como homem ou mulher.

                  #2992 Quote

                  Tath
                  • ed/eld/e
                  • -/éli/e

                  Mestre

                  Eu penso que não-binarie surgiu pra representar um certo grupo de pessoas generoqueer que não se identificam ou não completamente ou toda hora como homem ou mulher.

                  Eu apostaria que isso não aconteceu! Pessoas podiam utilizar identidades não-binárias específicas (neutrois, pangênero, etc.) para isso. Além disso, as evidências apontam para que:

                  1) Genderqueer fosse praticamente considerada uma identidade apenas para pessoas não-binárias na época que não-binárie começou a se popularizar {x} {x}

                  2) O termo genderqueer deixou de ser utilizado por causa do pensamento difundido no Tumblr sobre “queer ser apenas uma palavra ofensiva/política”, e talvez por um mito sobre a identidade genderqueer ser transmisógina {x} {x}

                  ( @memelord_ estes últimos links podem ser novos pra você, pode ser legal dar uma olhada)

                  Enquanto não-binárie seja uma palavra mais descritiva e específica do que genderqueer, acredito que o fato da substituição ter ocorrido no Tumblr e por motivos suspeitos não seja coincidência.

                  if you are afraid ⁕ come out
                  if you are awake ⁕ come out
                  COME OUT AND LEVEL UP

                  • Esta resposta foi modificada 4 meses, 1 semana atrás por  Tath.
                  #2997 Quote

                  [email protected]

                    Participante

                    Agora eu tô apostando que generoqueer e não-binarie eram perfeitamente sinônimos, mas então gêneroqueer se tornou mais abrangente e passou a representar alguns expressões de gênero de pessoas binárias que lembravam identidades não-binarias de alguma forma.
                    Só mais uma teoria.

                  Visualizando 20 posts - 1 até 20 (de 20 do total)

                  Você deve fazer login para responder a este tópico.